UNILA: Inserção De Pessoas Com Síndrome De Down No Ensino Público E No Mercado De Trabalho

UNILA: Inserção De Pessoas Com Síndrome De Down No Ensino Público E No Mercado De Trabalho
Compartilhe

As atividades, que acontecem de 19 a 24 de março, são gratuitas e abertas ao público. O evento é uma realização da UNILA e do Grupo de Mães Unidas pela Trissomia 21. A programação completa está disponível no site https://www.unila.edu.br/eventos/inclusao.

A inclusão escolar para crianças com Síndrome de Down e a inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, e no ensino superior, são alguns dos temas de discussão.

“Aproveitando essa data, programamos essa semana com o objetivo de visibilizar pessoas com Síndrome de Down e oportunizar a elas, suas famílias e outros interessados, um espaço de discussão e de diálogo com facilitadores. Hoje já se reconhece a construção do desenvolvimento dessas pessoas de outra forma que, para ser efetivada, precisa-se oferecer condições mais adequadas de estimulação, saúde e de educação – e que os direitos sejam efetivados”

contextualiza a professora Ana Paula Araújo Fonseca, pró-reitora de Assuntos Estudantis, que também é uma das organizadoras do evento.

Segundo Ana Paula, a realização do evento na UNILA demonstra a relevância da Universidade abrir um espaço de encontro, informação e formação para os profissionais que trabalham com pessoas com Síndrome de Down e outras deficiências, além dos sujeitos protagonistas desse processo. “O ano de 2018 é um marco para a UNILA a partir da Lei de Cotas nas universidades e a estruturação do Núcleo de Apoio à Acessibilidade e Inclusão (NAAI). Nesse sentido, a instituição tem o deve de informar à comunidade que o espaço da universidade também está sendo pensado pra pessoas com Síndrome de Down ou outras deficiências”, aponta a professora.

O Dia Internacional da Síndrome de Down foi estabelecido em 2006, com objetivo de dar visibilidade ao tema e esclarecer a sociedade sobre pessoas com Síndrome de Down e, assim, reduzir o preconceito. “O principal desafio do ponto de vista dessas pessoas é quebrar tabus, preconceitos e uma ideia ultrapassada de que elas têm como ponto de partida, a partir do diagnóstico, uma limitação”, explica Ana Paula Araújo Fonseca.

 

Quando? 19 a 24 de março

Onde? UNILA Jardim Universitário (Avenida Tarquínio Joslin dos Santos, 1000)

Evento gratuito e aberto para toda a comunidade.

Mais informações: https://www.unila.edu.br/eventos/inclusao


Compartilhe

Deixe uma resposta